O ensino de Geografia na Vereda: Práticas pedagógicas

Para produzirmos o Material Didático da Escola Vereda com qualidade e cheio de referências interessantes, contamos com uma equipe inteira de pessoas preocupadas em como trazer ao estudante o máximo de conhecimento e desenvolver sua aprendizagem com base na Metodologia da nossa escola.

Na disciplina de Geografia, a estruturação do pensamento geográfico é realizada pela Professora de Referência, Elisangela Motta, (se quiser saber mais sobre o papel dos Professores de Referência clique aqui) e pela equipe de editorial e coautorias liderada pela Coordenadora Editorial, Thais Milson.

O ensino acontece de maneira integrada aos interesses e demandas da escola, transformando todos os envolvidos no processo de ensino-aprendizagem em sujeitos e agentes de transformação do espaço. “A concepção de ensino incentiva o estudante a reconhecer o seu lugar no mundo, a partir da compreensão da relação do ser humano enquanto própria natureza. Também considera as orientações que estão na Base Nacional Comum Curricular, que auxiliam na organização do conhecimento geográfico estabelecendo as competências e habilidades necessárias para a educação básica escolar.”, explica Elisangela.

Uma das pessoas que trabalham no editorial da Vereda com o material de geografia é Nara Lasevicius, Editora de Humanidades. Ela faz as adequações ao modelo pedagógico da Vereda e altera o que for necessário para que o material que chega aos estudantes seja o melhor possível. Isso inclui edição de enunciados de atividades, acréscimo ou exclusão de textos, e elaboração de uma pauta iconográfica que traga recursos visuais para dialogar com o conteúdo. “Participar da criação de um material do zero representa muitos desafios, tanto editoriais quanto pedagógicos. Isso implica pensar constantemente de que forma devemos conduzir o tratamento editorial e pesquisar sempre nas melhores fontes conteúdos que tornem o material mais completo e rico.”, conta Nara.

Segundo Elisangela, a Escola Vereda reconhece nos recursos didáticos utilizados no ambiente escolar um potencial para uma mudança no olhar sobre a realidade dos estudantes. Para isso, são utilizados sistemas de informações geográficas para a manipulação e sistematização de dados georreferenciais; instrumentos de coleta de dados atmosféricos e pedológicos para análises quantitativas e qualitativas, físico-química dos eventos naturais da Terra; saídas a campo e visitas técnicas para que o estudante viva a sua interação com o espaço geográfico e se reconheça como próprio agente de intervenção e mudança.

Em sala de aula ou fora dela, para pensar em um mundo cada vez mais globalizado e construir um conhecimento geográfico que ultrapassa o espaço local, o ensino da Geografia na Escola Vereda trabalha com os estudantes os processos de formação da natureza; impactos ambientais positivos e negativos no âmbito global e local; impactos da globalização na produção de lugares diferentes e desiguais; conflitos socioespaciais nas suas diferentes escalas, entre outros temas.

Um exemplo disso é o material do 3º trimestre que, em uma das aulas do 7º ano do Ensino Fundamental, onde os estudantes irão aprender sobre a industrialização na Era Vargas. “Eu trouxe para o material algumas reflexões sobre a história da mineração no século XX brasileiro e os recentes crimes ambientais de Mariana e Brumadinho. Penso ser importante compreender como tal fenômeno se deu e, ao mesmo tempo, como se relaciona com o presente.”, explica Nara.

Além de todos esses recursos, utilizamos, é claro, livros didáticos e paradidáticos, e livros teóricos/científicos que subsidiam o trabalho do professor. Confira alguns deles:

O livro Atlas do Brasil, Disparidades e dinâmicas do território, dos autores HervéThéry e Neli Aparecida de Mello.

Este livro é utilizado para todas as séries, principalmente para as séries finais do Ensino Fundamental II e Ensino Médio. De acordo com a Professora de Referência, Elisângela, a escolha por este livro está na forma com que ele apresenta as dinâmicas e disparidades do território brasileiro, sempre visual e textual com base nas políticas públicas, mostrando os avanços e retrocessos internos do Brasil.

Decifrando a Terra. 2.ed. São Paulo, dos autores Fabio Taioli, Wilson Teixeira, M. Cristina Motta de Toledo, e Thomas Rich Fairchild.

Este livro é utilizado, principalmente, para abordar de forma atual os processos que modelam e controlam a superfície do nosso Planeta e seu interior. As séries que mais usam este livro são as séries iniciais do Ensino Fundamental II.

A Nova Desordem mundial de Rogério Haesbaert e Carlos Walter Porto Gonçalves.

É utilizado no Ensino Médio, em especial, no 1° ano. O livro se dedica a Nova Ades-Ordem mundial a partir dos aspectos geográficos, o que facilita aos estudantes uma melhor leitura de mundo globalizado.

A Escola Vereda se preocupa em criar acessos aos meios de comunicação que permitem colocar o estudante em contato com outras culturas, ao mesmo tempo em que problematiza o processo de globalização, a partir do estímulo de desenvolvimento de uma postura crítica perante a geografia viva do qual o mundo é circundado hoje, em diferentes escalas de compreensão do espaço. Portanto, a geografia da Escola Vereda pensa qual é o papel do sujeito, enquanto estudante, no mundo.



Quer saber mais sobre a Escola Vereda? Venha nos visitar em um dos nossos eventos.